domingo, 29 de novembro de 2015

Top 10 - Relações Familiares no Cinema


Guilherme W. Machado

A família é uma das entidades mais retratadas nas artes. Mesmo com todas suas variações entre as diferentes culturas, pode-se perceber uma espécie de padrão, uma relação, por assim dizer, reconhecível em nível mundial. Isso é, todavia, assunto para outro texto. O que é interessante é perceber como é possível identificar-se - de diferentes formas, claro - com essas famílias retratadas nesses filmes que diferem entre si tanto em gênero quanto em cultura (país e/ou época da ambientação). Alguns são exercícios mais radicias de relação familiar, outros são construções mais sutis, mas todos têm seu motivo de ser.


Vale ressaltar que não considerei aqui filmes centrados nas relações entre casais, como a trilogia Antes do Amanhecer [1995], ou Quem tem Medo de Virginia Woolf? [1966], por exemplo. Não que os relacionamentos matrimoniais não sejam importantes em alguns dos filmes aqui listados, a maior diferença é que eles estão inseridos num contexto familiar mais amplo.

(Clique nos títulos em vermelho para ler nossas críticas)


10. Cabo do Medo [Martin Scorsese, 1991]

09. O Leão no Inverno [Anthony Harvey, 1968]

08. Beleza Americana [Sam Mendes, 1999]

07. Boyhood [Richard Linklater, 2014]

06. Marcas da Violência [David Cronenberg, 2005]

05. Hannah e Suas Irmãs [Woody Allen, 1986]

04. Paris, Texas [Wim Wenders, 1984]

03. Gritos e Sussurros [Ingmar Bergman, 1972]

02. Providence [Alain Resnais, 1977]

01. Trilogia O Poderoso Chefão [Francis Ford Coppola, 1972/1974/1990]


Nenhum comentário:

Postar um comentário