sábado, 26 de setembro de 2015

7 Guerras, 7 Diretores, 7 Filmes





LISTA DE: Guilherme W. Machado

Enfim, a proposta é bem auto-explicativa: montei essa lista pensando em reunir 7 filmes de diferentes diretores e que abordassem cada um uma guerra diferente. A proposta inicial era fazer um simples top 10 de filmes de guerra, mas me defrontei com um resultado bem repetitivo, com diretores como Stanley Kubrick ou David Lean aparecendo mais de uma vez e quase toda lista com filmes da guerra do vietnã ou das guerras mundiais. Optei, portanto, por uma lista menor, com uma proposta mais variada (ainda que haja um decréscimo na qualidade das obras, pela obrigação de eliminação), o que me deu a opção de fazer pequenos comentários sobre cada escolha, algo pouco prático em listas maiores.




07. Guerra ao Terror [Kathryn Bigelow, 2008] - Guerra do Iraque

Não posso dizer que morro de amores pelo filme que consagrou Bigelow. Aprecio suas qualidades, que não são poucas, e gosto do filme num geral. O que há de mais interessante sobre ele - e que justifica sua presença aqui - é, portanto, sua abordagem ao tema da guerra: tratá-la como um vício. Bigelow conseguiu fazer algo pertinente com um gênero já explorado ao máximo ao longo das décadas, isso por si só já seria passível de respeito, mas o filme ainda conta com uma boa qualidade técnica em basicamente todas áreas.




06. M.A.S.H [Robert Altman, 1970] - Guerra da Coréia

M.A.S.H provoca certa estranheza; não é um filme de fácil digestão. Altman, como sempre em sua carreira, imprimiu todas suas particularidades nesse que é provavelmente o filme menos convencional da lista no que tange o tema da guerra. O humor é corrosivo e a crítica é constante. O mais interessante é que M.A.S.H nunca cai no lugar comum dos filmes anti-bélicos, atacando a guerra de uma forma muito mais profunda, naqueles que supostamente eram para ser as melhores pessoas deste contexto: os médicos que salvam vidas, ao invés de tirá-las. A guerra de Altman não está nas armas, mas nas pessoas.




05. Bastardos Inglórios [Quentin Tarantino, 2009] - Segunda Guerra Mundial

Dos sete filmes listados, esse é o que menos trata da guerra em si. Bastardos Inglórios está inegavelmente inserido no contexto da Segunda Guerra Mundial, mas não chega a tratar sobre ela especificamente. De qualquer forma, todos eventos do filme somente tornam-se possíveis dentro de tal cenário, o que foi o suficiente para eu considerá-lo para essa lista. Além de toda sua qualidade como filme (um que gosto cada vez mais com o passar dos anos, devo acrescentar), um dos fatores decisivos da escolha de Bastardos Inglórios sobre outros grandes filmes da GM II, como A Ponte do Rio Kwai [1957], que por muito pouco não ocupou essa posição, foi justamente um dos pontos mais criticados do filme: seu rompimento com a história. Tarantino reescreve eventos e não se atém a qualquer tipo de fórmula ou pré-requisito, não resistindo à metáfora do próprio cinema matar Hitler, literalmente.



04. Trono Manchado de Sangue [Akira Kurosawa, 1957] - Guerra Civil Japonesa

Nunca tinha me ocorrido de ver esse excelente épico de Kurosawa como um filme de guerra, mas isso provavelmente devio ao meu conhecimento nulo da história japoneasa. O contexto desta guerra civil é, afinal, onipresente em todo filme e é o que norteia a adaptação da icônica peça de Shakespeare (Macbeth) para a realidade do japão feudal. Kurosawa apoia-se num cenário de guerra para explorar alguns dos sentimentos mais profundos e obscuros da alma humana, como a inveja e a ganância. Um filme excelente, mesmo que deslocado na lista em relação à nossa percepção comum de filmes de guerra. Confira nossa crítica.




03. O Franco Atirador [Michael Cimino, 1978] - Guerra do Vietnã

Sem dúvidas, a escolha mais difícil da lista. O Franco Atirador pode não ser tão grandioso quanto o operístico Apocalypse Now [1979], ou tão ousado quanto o irreverente Nascido para Matar [1987], mas é um filme muito mais humano, sem que isso acarrete numa perda de qualidade técnica. Pelo contrário, o filme de Cimino é um primor em todos os sentidos, seu tratamento dos personagens é excepcional, equiparável a poucos filmes, e seus enquadramentos são de um rigor visual digno de aplausos. Gosto muito das três opções citadas, considero todas obras primas, mas, na hora da escolha, não consegui escrever outra coisa que não O Franco Atirador.



02. Dr. Fantástico [Stanley Kubrick, 1964] - Guerra Fria

O filme mais audacioso que eu conheço a tratar da guerra. Kubrick ironiza um possível apocalípse nuclear em plena Guerra Fria, no auge da tensão nuclear. Dr. Fantástico é um atestado tanto da genialidade quanto da versatilidade de Kubrick, que se aventurou na comédia no início dos anos 60, mas principalmente o filme que melhor retrata todas as contradições, críticas, os absurdos e a loucura da guerra. Leia nossa crítica completa do filme aqui.



01. Lawrence da Arábia [David Lean, 1962] - Primeira Guerra Mundial

Inevitável. Lawrence da Arábia é o épico dos épicos, repleto de tomadas grandiosas do visionário David Lean e de momentos inesquecíveis protagonizados por seu excelente elenco, encabeçado pelo lendário Peter O'Toole. Diferentemente de todos outros filmes na lista, Lawrence da Arábia é um profundo estudo psicológico de um herói de guerra, um tipo de figura frequentemente mitificada popularmente. Todo esse processo, da complexa realidade à mitificação pós-morte, pelo qual passaram muitas figuras marcantes da história, encontra em Lawrence da Arábia seu expoente na sétima arte.


Nenhum comentário:

Postar um comentário