segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Premiações - Vencedores do Globo de Ouro 2015 e Comentários


TEXTO DE: Guilherme W. Machado

O Globo de Ouro 2015 reforçou o panorama daquilo que se esperava para o Oscar, acabando com a esperança de alguns concorrentes e fortalecendo outros. Como tem sido nos últimos anos, a noite foi marcada pelo humor forte de suas apresentadoras Tina Fey e Amy Poehler - ainda que me pareça que elas tenham tido menos tempo no palco dessa vez, talvez tenha sido só impressão - que pisaram forte em algumas feridas, principalmente a da Coréia.




Algumas "rebeldias" da premiação chamaram a atenção. O russo Leviatã, por exemplo, faturou o prêmio de Melhor Filme Estrangeiro, para a surpresa de todos. Esse me parece ser um daqueles anos em que haverá divergências entre o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e o Globo de Ouro (o que não é incomum), uma vez que eu não apostaria no filme russo para levar o prêmio da academia, pelo menos por enquanto. Outro prêmio surpreendente (ainda que eu o tivesse previsto nas minhas apostas) foi a vitória de O Grande Hotel Budapeste na categoria de Melhor Filme - Comédia ou Musical, desbancando o favorito Birdman e diminuindo consideravelmente suas chances para o Oscar de Melhor Filme. O troco, por outro lado, veio na categoria de Melhor Roteiro, na qual Birdman desbancou o favorito O Grande Hotel Budapeste, ficando um passo a frente na acirrada disputa pelo Oscar de Melhor Roteiro Original, que deve ficar com um desses dois filmes, tendo ainda Boyhood correndo por fora.


Amy Adams deu a volta por cima (depois de sua constante queda após as más críticas ao seu filme, Grandes Olhos) e faturou o Globo de Ouro de Melhor Atriz - Comédia ou Musical pelo segundo ano consecutivo - ela havia vencido por Trapaça no ano passado. Esse prêmio a coloca de volta na corrida para a indicação ao Oscar, mas tenho minhas dúvidas se a academia indicaria essa atriz pela sexta vez sem nunca premiá-la (uma vez que ela certamente não vencerá neste ano). O restante das categorias de atuação ficou dentro do previsto, com Eddie Redmayne (A Teoria de Tudo) e Michael Keaton (Birdman) estabelecendo o confronto pelo Oscar - ainda que eu ache o cenário mais favorável a Redmayne -, Juliane Moore (Para Sempre Alice), J.K Simmons (Whiplash) e Patricia Arquette (Boyhood) apenas confirmaram seus favoritismos absolutos e devem vencer sem sustos.

Em trilha sonora prevaleceu o favoritismo de A Teoria de Tudo, ainda que eu tivesse esperança que o merecimento de Garota Exemplar, ou até da ótima trilha de Interestelar, falasse mais alto.





VENCEDORES

MELHOR FILME - DRAMA: Boyhood
MELHOR FILME - COMÉDIA OU MUSICAL: O Grande Hotel Budapeste
MELHOR DIRETOR: Richard Linklater, por Boyhood
MELHOR ATOR - DRAMA: Eddie Redmayne, por A Teoria de Tudo
MELHOR ATRIZ - DRAMA: Julianne Moore, por Para Sempre Alice
MELHOR ATOR - COMÉDIA OU MUSICAL: Michael Keaton, por Birdman
MELHOR ATRIZ - COMÉDIA OU MUSICAL: Amy Adams, por Grandes Olhos
MELHOR ATOR COADJUVANTE: J.K Simmons, por Whiplash
MELHOR ATRIZ COADJUVANTE: Patricia Arquette, por Boyhood
MELHOR ROTEIRO: Birdman
MELHOR FILME ESTRANGEIRO: Leviatã
MELHOR TRILHA SONORA: A Teoria de Tudo
MELHOR CANÇÃO ORIGINAL: "Glory", de Selma

Nenhum comentário:

Postar um comentário