quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Globo de Ouro 2014





A tão esperada cerimônia do Globo de Ouro de 2014, geralmente esperada por ser um termômetro para o Oscar, passou nesse domingo mudando alguns panoramas e estabelecendo novos favoritismos para a premiação principal. A festa foi novamente apresentada por Tina Fey e Amy Poehler que mantiveram o mesmo ritmo de piadas ácidas do ano passado, tudo indica que continuarão apresentando a cerimônia por um tempo ainda.
Não houve grandes surpresas, mas algumas “zebras”. Por mais que Leonardo DiCaprio merecesse o prêmio, ele costuma ser esnobado, coisa que felizmente não aconteceu. McGounaghey era um candidato forte, mas poucos imaginavam que ele seria o suficiente para desbancar Robert Redford e Chiwetel Ejiofor (até então o favorito). Já a acirrada disputa entre Jennifer Lawrence e Lupita Nyong’o parece, agora, pender mais para o lado de Lawrence, que tem chances reais de conquistar seu segundo Oscar seguido. Jared Leto, entretanto, confirmou seu favoritismo inabalável, realmente a melhor atuação na categoria disparado.
A parte das séries, por sua vez, foi uma tristeza. Não assisti Breaking Bad, mas creio que seja merecedora dos prêmios recebidos. Já outros vencedores como Brooklyn Nine-Nine, Andy Samberg e John Voight, que está no auge de sua canastrice em Ray Donovan, são incompreensíveis. Eu sei que o Globo de Ouro tem a tendência de não premiar muitas vezes a mesma série, mesmo que essa sempre mereça, e premiar novas, mas tem vezes que não dá.
As duas categorias de Melhor Filme não trouxeram surpresa alguma. Melhor Diretor também venceu o favorito – que realmente é o melhor dentre esses indicados – Alfonso Cuarón, como o imaginado. Já em Melhor Roteiro, por mais que Ela fosse o favorito de acordo com as premiações anteriores, foi um pouco surpreendente, pois não é o tipo de filme que geralmente é agraciado com Globos de Ouro ou Oscar, eu teria dado meu chute em Trapaça, que faz mais o estilo do prêmio. Ainda não tive oportunidade de assistir Ela, mas creio que tenha sido um prêmio merecido pelo que se vem falando.



Não chega a ser uma zebra total, mas Amy Adams desbancando Meryl Streep também é algo que eu não teria apostado. Tudo bem que a veterana não estava sendo tão bem recebida com essa sua nova atuação – o que eu acho uma injustiça, pois ela saiu de sua zona de conforto e ainda atuou de forma extraordinária – entretanto apenas o amor que o Globo de Ouro tem por ela (26 indicações com 7 vitórias não me desmentem) poderia rendê-la o prêmio. Ainda aguardo para ver Trapaça antes de fazer algum julgamento aqui. A outra categoria de atriz (drama) não oferecia chance de zebra, Cate Blanchett é prêmio certo no Oscar ou qualquer outra premiação, simplesmente uma das melhores atuações dos últimos 20 anos, se não de toda história.
O prêmio Cecil B. De Mille recebido por Woody Allen – bem atrasado já – foi um dos momentos altos da cerimônia, mesmo ele (como de praxe) não tendo comparecido. O discurso de Diane Keaton e a presença de várias pessoas com quem trabalhou durante sua longa carreira tornaram o momento especial.
Para finalizar, exalto minha felicidade (e grande surpresa) ao ver o filme italiano A Grande Beleza levar o prêmio de Melhor Filme Estrangeiro, vencendo os grandes favoritos Azul é a Cor mais Quente e A Caça. Devo dizer que gostei muito dos três filmes, mas o que mais me marcou, que é minha torcida para o Oscar, é o filme italiano.
Enfim, mais uma premiação leve e divertida do Globo de Ouro, com vencedores razoavelmente justos, pelo menos a maioria. Já vem de alguns anos a tendência de a festa do Globo de Ouro ser mais agradável de assistir que a do Oscar, que vem apostado em apresentadores extremamente sem graça, parece que esse ano isso vai se repetir...

Vencedores:

Melhor Filme Drama: 12 Anos de Escravidão
Melhor Filme Comédia: Trapaça
Melhor Diretor: Alfonso Cuarón, Gravidade
Melhor Roteiro: Ela
Melhor Ator Drama: Matthew McGounaghey, Clube de Compra de Dallas
Melhor Atriz Drama: Cate Blanchett, Blue Jasmine
Melhor Ator Comédia: Leonardo DiCaprio, O Lobo de Wall Street
Melhor Atriz Comédia: Amy Adams, Trapaça
Melhor Ator Coadjuvante: Jared Leto, Clube de Compra de Dallas
Melhor Atriz Coadjuvante: Jennifer Lawrence, Trapaça
Melhor Filme Estrangeiro: A Grande Beleza
Melhor Trilha Sonora: Até o Fim
Melhor Canção Original: U2, Ordinary Love
Prêmio Cecil B. De Mille: Woody Allen

Melhor Série Drama: Breaking Bad
Melhor Série Comédia: Brooklyn Nine-Nine
Melhor Ator Série Drama: Bryan Cranston, Breaking Bad
Melhor Atriz Série Drama: Robin Wright, House of Cards
Melhor Ator Série Comédia: Andy Samberg, Brooklyn Nine-Nine
Melhor Atriz Série Comédia: Amy Poehler, Parks & Recreation
Melhor Ator Coadjuvante Série/Minissérie/Telefilme: John Voight, Ray Donovan
Melhor Atriz Coadjuvante Série/Minissérie/Telefilme: Jacqueline Bisset, Dancing on the Edge
Melhor Minissérie/Telefilme: Behind the Candelabra
Melhor Ator Minissérie/Telefilme: Michael Douglas, Behind the Candelabra
Melhor Atriz Minissérie/Telefilme: Elisabeth Moss, Top of the Lake

Nenhum comentário:

Postar um comentário